• Batom vinho: para chamar de seu!

    No Natal do ano passado, presenteei uma grande amiga com um batom vinho e depois brincava sempre que ela estava antecipando tendência. Isso porque essa cor simplesmente começou a BOMBAR, principalmente a partir do começo deste ano nos lábios de mulheres do mundo todo e também por aqui. A personagem Lívia Marine (interpretada pela Cláudia Raia) na última novela das 9, Salve Jorge, representou com louvor o papel de diva do vinho.

    Lívia Marine com batom vinho

    Porém, não foi exatamente por “estar na moda” que comprei esse presentinho para minha amiga, mas porque sempre achei a cor elegante e, por sorte, começou a voltar às prateleiras depois de ficar, por muitos anos, relegada à “marginalidade” do mundo da maquiagem, como se fosse “coisa de velho” e até cafona. Mas como aprendemos na escola de moda, toda tendência é cíclica!

    Batons vinhos

    Lembro também que nas minhas férias do ano passado (em agosto), estava fazendo umas comprinhas e arrematei um lápis de boca na cor vinho para mamys. Sucesso total, mas ainda não consegui comprar um para chamar de meu! E toda vez que vejo na TV ou em uma foto na revista alguém usando batom vinho, meu coração bate mais forte! Preciso achar um bem especial!

    As sugestões da Natura e da Avon neste post, como vocês sabem, podem ser encontradas através das boas e velhas revendedoras. Já o batom da Eudora pode ser comprado nas lojas físicas ou online (veja aqui) e uma boa pedida para o da Maybelline é no e-commerce da Onofre (clique aqui).

    Vocês têm alguma sugestão para eu me presentear?

    Leia também

  • Os eleitos: blush da MAC

    Ao lado dos batons, tem um produto de beleza que sempre faz meu coração bater mais forte: os blushes! Em pó, prensados, em creme, líquidos, qualquer corzinha na bochecha eu topo. Eu gosto e uso mais os que puxam para tons de rosa – um muito gracinha é o super aberto Pink Swoon, da MAC, que as branquelas têm que dosar a mão ao usar, mas garante aquele ar de boneca.

    20130525_095835

    Mas no dia a dia eu opto por cores mais fáceis e universais, que não tenham erro e nem risco de ficar com aquela tradicional “tijolada” na cara se você pesar um pouco a mão. E aqui vai o meu eleito para qualquer hora, meu curinga: o Blushbaby, da MAC. (A foto não vai captar muito bem a belezura da cor… Mas ao clicar nas imagens elas abrem e ficam grandes!)

    20130525_095951

    Gente, esse blush é muito versátil! Ele tem um tom especial, um rosinha queimado puxando um tiquinho para um tom terroso. Mas não é nem rosa, nem parece um bronzer. Ele fica ali no “meio do caminho”, o que explica o fato dele ser querido por pessoas de variados tons de pele. Ele entrega bastante cor (mas sem precisar ter um mega cuidado na hora de aplicar) e, no meu caso, dura bastante na pele: após um dia de trabalho, lá pelas 19hs ainda tem um pouco de cor.

    20130525_100133

    Vale a lembrança: ele não é um blush super festivo. O Blush baby é bem opaco e em festas e ocasiões especiais, que pedem um brilho extra, ele pode não ser o mais interessante para usar. Mas nada que um foco brilhoso em um olho poderoso (veja uma dica aqui) ou um iluminador bem aparecido não resolvam! Se você ainda achar ele um pouco apagadinho, é só trocar! Da MAC eu uso muito o Dainty, da linha Mineralize, um coral bem brilhante. Mas isso pode ser assunto para outro post…

    Ah, e lembrem: a Vult tem uma boa variedade de cores de blush (eles esfarelam um pouco, mas têm uma durabilidade legal) e a Avon também (eu usava bastante o pêssego).

    Leia também

Desenvolvido por Finalité Marketing

Back to Top