Vanguarda

Logo4

 

Fui outro dia com uma amiga em uma perfumaria do centro procurar um óleo específico para o cabelo. Há algum tempo ela aderiu ao no-poo, uma técnica de lavagem dos cabelos que envolve o uso de produtos com menos agentes químicos. Como sei pouco do assunto, fiz desde perguntas estúpidas como “não usa shampoo, por isso no poo?” até “por que diabos resolveram colocar sulfato nas coisas??”.

Para facilitar a vida das novatas, muitos blogs e páginas em redes sociais já fizeram o trabalho sujo de verificar, rótulo por rótulo, quais seriam os produtos indicados para quem quer aderir à técnica (minha miopia agradece). Logo pensei em marcas caras e desconhecidas: ledo engano.

De repente estava percorrendo corredores de perfumarias atrás de… um shampoo Monange. Sim, aquele rosa, barato, que tem em todo canto. Ele tá liberado. E sabe quem mais? O indefectível Acquamarine, um clássico no box de 9 em cada 10 avós nos anos 90.

Só isso já foi suficiente para eu me animar. Mas o melhor ainda estava por vir: Neutrox e Seda Ceramidas também estavam na lista, o que significa que eu manjava tudo dos sulfatos na adolescência.

Quer ir adiante (ou, no caso, adentrar o túnel do tempo)? O creme y-a-m-a-s-t-e-r-o-l está voando das prateleiras. Aquele sim é o cheiro de infância mais longínquo da minha memória. Lembro-me quando minha vó enrolou meu cabelo com bobs e muito creme yamasterol, para desespero da minha mãe. Se ela soubesse que era no-poo, talvez não tivesse ligado tanto!

E por falar na minha mãe, além dos produtos que já falei antes, me lembro de peregrinar por perfumarias atrás do poderoso (porém raro) shampoo Phytoervas de Jaborandi. Nunca soube o que é um jaborandi, mas me perguntei isso todas as vezes que percorremos mais de uma loja para encontrar o maldito do shampoo, e ela não desistia. Certa ela.

Toda essa história acabou virando uma deliciosa volta ao passado, mas a pulga ficou atrás da orelha: se estamos voltando a usar tudo que era moda há alguns anos, isso significa que fazíamos a coisa certa, passamos a conturbada adolescência e início de vida adulta fazendo tudo errado para agora voltar à uma vida mais natural?

Influência da indústria nacional? Lobby do sulfato? Crise da meia idade? Tudo isso junto e misturado? Provável. Afinal, a moda é cíclica, todo mundo diz. Só por favor não precisa voltar aqueles cabelos bufantes dos anos 80 e 90…

 

 

Postado por:

Vanessa Henriques

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Leia também

Desenvolvido por Finalité Marketing

Back to Top